Como funciona nosso emocional e como afeta nossa vida profissional?

Saúde emocional tem sido um tema cada vez mais debatido, ainda bem.

Mas as soluções que se apresentam para cuidar da mesma, muitas vezes não vão na raiz do problema.

Muitas vezes se buscam remédios ou “técnicas” para tentar “acalmar” – o que no fundo quer dizer – “abafar” nossas emoções.

Quando abafadas elas não são resolvidas e seguem causando prejuízos, porém agora de forma silenciosa e, portanto, ainda mais prejudiciais.

Prejudiciais como?

Enquanto abafadas, elas ficam como que “consumindo nossa CPU”. Mantém nosso corpo, nossos processos mentais e fisiológicos em um estado constante de tensão que vai se acumulando até se transformar em doenças mais graves e, no processo, te mantem muito mais cansado e estressado do que poderia.

Como lidar com isso então?

O primeiro passo é saber algumas características do que vou chamar de “Corpo emocional”. Sim, da mesma forma que temos um corpo físico, temos um corpo emocional. É uma forma de simbolizar onde residem nossas emoções.

Este corpo tem regras próprias.

1º) O emocional não é lógico ou coerente.

Em um mesmo instante podemos estar sentindo medo, insegurança, ansiedade, alegria e empolgação. Basta lembrar daquele projeto que você estava prestes a fazer a entrega final ou indo buscar o pedido em um cliente (com uma mínima chance de chegar lá e algo dar errado).

2º) O emocional não é linear

Se nosso corpo físico tem um ritmo relativamente conhecido para cada um de nós (acordamos, despertamos, ficamos despertos, relaxamos e dormimos), o emocional não está nem um pouco preocupado em ter uma coerência ou seguir um ritmo. Qualquer emoção pode ocorrer a qualquer momento.

3º) O emocional não pode ser controlado

Não conseguimos eliminar uma emoção. O máximo que conseguimos é abafá-la tanto que, aparentemente, não estamos sentindo nada. Na verdade, a emoção ocorre, mas não tomamos consciência.

O que podemos sim aprender é a lidar com as emoções quando elas ocorrerem.

4º) O emocional é atemporal

Quando sentimos algo que nos incomoda, uma raiva, um medo, uma insegurança ou qualquer outra emoção que nos tira do eixo, a origem desta “intensidade” pode estar em um fato que aconteceu a décadas atrás. É como se uma emoção ficasse congelada e quando algo nos dias atuais se assemelha ainda que minimamente à situação do passado, o emocional reage do mesmo jeito que reagia naquela época.

Assim, imagine agora lidar com isso em uma empresa ISO 9000, focada em metas, KPIs e demais indicadores de desempenho.

O que as empresas vêm tentando fazer é barrar o emocional dos processos, mas nosso corpo emocional é parte de todo colaborador e, se não for incluído na gestão de pessoas, vai continuar gerando mais e mais burnouts e afastamentos.

Para isso é que é fundamental um trabalho específico que ajude os funcionários e os gestores a aprender a lidar com seu corpo emocional. Quando isso acontece, uma tonelada de performance e disposição para o trabalho fica disponível.

Deixei mais conteúdo em um vídeo no meu canal do Youtube


https://youtu.be/0duhCfFUTgM



Grande abraço e até o próximo texto

Heitor G. Fagundes

Psicoterapeuta



0 visualização

©2020 by Heitor G. Fagundes. 

SAUDE.VC Serviços para Consciência

R. MMDC 217 São Paulo SP

cel/whats: +55 11 970.866.906

  • LinkedIn ícone social
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • Black Facebook Icon